quarta-feira, 29 de maio de 2013

Dr. Frederico, uma vida dedicada à Medicina


Com mais de 30 anos dedicados à medicina lageana, Frederico Manoel Marques é um apaixonado por sua profissão e um dos mais prestigiados médicos da cidade.
Sua dedicação à medicina lageana teve início ainda na década de 1970, atendendo a um convite do General Souto Maior. Chefiou por anos o Instituto Nacional de Assistência Médica e Previdência Social (INAMPS). Atendeu em ambulatórios e em diversas comunidades do interior quando municípios hoje emancipados como Otacílio Costa, Correia Pinto e Painel ainda pertenciam a Lages.
Dessa época, o médico relata que trabalhar no interior do município concedeu a ele uma experiência muito grande e permitiu conhecer como é a realidade de nosso povo, como pensa e como age. “O que mais me entusiasma é poder ajudar nossa comunidade. Eu tenho vocação por Lages. Muitas pessoas trabalham e vivem aqui porque se criaram, mas eu escolhi esta cidade”, declara.
Dentre as muitas atividades por ele exercidas, é diretor-geral do Hospital Infantil Seara do Bem e atua também no Hospital Geral e Maternidade Tereza Ramos. Mestre em Saúde Coletiva, atualmente coordena o curso de Medicina da Universidade do Planalto Catarinense.
Nascido em São Joaquim, o médico destaca seu amor pela cidade que o acolheu. “Sou joaquinense de nascimento, florianopolitano de criação e lageano de coração. Tenho uma consideração enorme por essa terra, por isso abdico de muitas coisas da minha área pessoal para poder me dedicar às causas da nossa cidade”, acrescenta entusiasmado.
Como médico pediatra atuando principalmente no cuidado de pacientes em estado grave, muitos foram os atendimentos que marcaram sua carreira. Testemunha desta dedicação do pediatra é a professora Rosângela Ribeiro. Ela conta que várias vezes levou sua filha, que possuía graves problemas de saúde na infância, para o atendimento do médico, inclusive na casa dele. “Entreguei a vida da minha filha várias vezes nas mãos do Dr. Frederico e ele nunca mediu esforços para salvá-la. Se hoje ela é uma adolescente saudável, devo isso a ele”, ressalta.

O segredo de sua carreira de sucesso, segundo ele, está em amar o que faz. ”Tudo é possível quando se tem amor, pois é ele que nos faz crescer enquanto pessoas. Tenho grande paixão pelo que eu faço e pelo ser humano. Quando se está diante de uma dificuldade é que se vê o tamanho do coração de uma pessoa. Quando a gente faz o bem quem se sente bem é a gente”, encerra emocionado.


Matéria produzida para o Concurso Maratona do Conhecimento - Publicação no Blog, pelo estudante Gabriel Rosa Padilha, 7º Ano, da EMEB Suzana Albino França sob orientação do professor  Carlos Eduardo Canani.

Tema Escolhido: Personalidades Lageanas

terça-feira, 28 de maio de 2013

Inscrições para o I Seminário Ambiental da Bacia Rio Canoas


No próximo mês, temos uma data muito especial - 05 de Junho - Dia Mundial do Meio Ambiente, e em comemoração teremos o Mês Ambiental - 15 anos Polícia Ambiental em Lages/SC.

O Município de Lages através da Secretaria do Meio Ambiente e Serviços Públicos, Secretaria de Educação, Polícia Militar Ambiental, Instituto José Paschoal Baggio, Correio Lageano, e Comitê Canoas são os realizadores desta ação.

Confira a programação e participe você também!

Já estão abertas as inscrições para o I Seminário Ambiental da Bacia Rio Canoas, que acontecerá no dia 05/06 no Teatro Marajoara. 







Clique aqui para inscrever-se

Haverá certificação de horas e é gratuito!

Confira toda a programação do mês:


sexta-feira, 24 de maio de 2013

O último verão de Malinverni Filho

“O último verão de Malinverni Filho”- retrato sobre a história do artista. É mais uma fotografia que fará parte do álbum da família. A memória do artista plástico Malinverni Filho está esquecida na mente do povo lageano, na dos catarinenses e na desse imenso Brasil, que tem tantas riquezas, mas esquece a principal: sua própria cultura.

A vida é um grande teatro, porque, a cada dia que passa, uma nova peça muda o rumo da história.Com Malinverni Filho não foi diferente. As peças que o destino colocou no seu caminho, impediram a continuidade da sua trajetória artística, deixando uma legião de possíveis artistas e professores, futuros discípulos das artes plásticas que ele tanto amava.

Fazer a seleção das fotos para compor a exposição referente à passagem dos 100 anos de Agostinho Malinverni Filho (1913 – 1971) é entrar na intimidade do artista e realizar uma viagem fantástica no tempo. São fotografias em tons de sépia, preto e branco, coloridas, desfocadas ou não e que descortinam uma pequena mostra do cotidiano daquele que podemos considerar como o primeiro e mais importante artista na história das artes plásticas de Lages. 

As fotos registram, em detalhes, como as pessoas viviam entre 1913 até 1971, ano do falecimento do artista. É um verdadeiro tesouro, pois as famílias guardavamsuas lembranças e memórias, momentos únicos que não voltam mais. São histórias coladas nas páginas de antigos álbuns e que, na maioria das vezes, não houve a preocupação em deixar palavras que dissessem algo sobre determinado assunto ou anotações
deixadas no verso das mesmas pelas pessoas que as guardavam e aquelas que ainda guardam, com tanto carinho.

As fotos foram feitas por amadores e também profissionais, como é o caso das tiradas pelos estúdios fotográficos, no período em que Malinverni Filho frequentou a ENBA - Escola Nacional de Belas Artes (1934 a 1947), no Rio de Janeiro e do Foto Klinger (Lages/SC), que fotografou o casamento do artista, em fevereiro de 1948. É um típico retrato em preto e branco, onde luz e técnica se fundem, revelando sentimentos, expondo o vigor e a jovialidade do casal numa peça de rara beleza.

O que mais se destaca na maioria das fotos do acervo da família, principalmente das tiradas de 1929 em diante, são as poses do artista. Uma é especial, na qual ele está segurando uma palheta de pintura ao lado de um retrato feito por ele e está usando terno e gravata, como na maioria das fotos. O artista até parecia modelo ou galã de cinema, pois lembra Rodolfo Valentino.

Avesso às formalidades sociais impostas na época, Malinverni gostava da simplicidade, de jogar bilhar, de festa de São João, de contar piadas e até arriscava-se como poeta: “A minha escola se baseia no correto desenho, que procuro dar vida, com as cores que me empresta a natureza”.

São momentos que se transformam com o passar dos anos, mas a elegância fazia parte do meio artístico e dos meios políticos na época. Ele viveu tais momentos através das exposições que realizou no Rio de Janeiro, com a presença de artistas e políticos, como o presidente Getúlio Vargas. No entanto, havia um comprometimento com as técnicas e o fazer artístico, pois eram poucos os que tinham a oportunidade de frequentar tais escolas e desenvolver suas potencialidades artísticas. 

Malinverni Filho provou que, além da pintura, era um exímio escultor, dominando a modelagem na argila e criou verdadeiras obras de arte, muitas imortalizadas no bronze e fixadas em praças e em frente de instituições em Lages, Brusque, Florianópolis, Rio do Sul, Palhoça e Videira.

Assim como Portinari, voltou para sua Brodósqui para pintar as coisas simples da sua terra. Malinverni deixou a Capital Federal, no RJ, na época, e retornou a Lages para pintar a paisagem serrana com suas imponentes araucárias e ensinar o que havia aprendido com os grandes mestres da Escola Nacional de Belas Artes.

As fotos são um verdadeiro arquivo de imagens e servem de estudo da década de 20 até 70, revelando hábitos e costumes, como nos cortes de cabelo e penteados esculturais, nas vestimentas e acessórios, de crianças ou adultos, na arquitetura, nos automóveis, móveis e brinquedos. Está incluída, também, uma foto de uma forte nevasca que caiu sobre a região da Serra Catarinense no inverno de 1957, na qual Malinverni Filho descreveu, no verso da foto, aquela intempérie. Assim como registrou em tantas outras sua trajetória e declarações de amor e carinho para sua amada Maria do Carmo Lange (Mariechen, como era chamada
pelo pai e como é conhecida atualmente, ou seja, “Mariazinha” em alemão). Mariechen é a grande responsável pela existência do Museu Malinverni Filho e traz, na memória, a história de vida que construiu juntamente com seu amado. É exemplo a ser seguido por muitas mulheres.

Filho de imigrantes italianos, os quais procuraram viver em locais de clima e geografia que lembrassem a terra natal. Os pais de Malinverni Filho, Agostinho Malinverno - natural de Cremona (Itália) e Anna Ângela Corsetti Malinverno - naturalde Feltrin (Itália) - encontraram no sul do Brasil, na cidade de Caxias do Sul/RS (berço da família Malinverni no Brasil), sua morada. Mudaram-se, mais tarde, para a Serra Catarinense, para o município de Lages, onde Agostinho Malinverni deixou sua marca como exímio escultor, para nossa felicidade e orgulho. Suas obras podem ser apreciadas nos adornos do colégio Vidal Ramos e nas pedras retiradas do bairro Morro do Posto, atual Guadalupe, as quais esculpiu para construção do prédio da Prefeitura de Lages, que é um dos cartões postais mais fotografados na cidade, pela beleza e simetria dos arabescos. Destacou-se, também, pela arte cemiterial, que se encontra no Cemitério Cruz das Almas e, provavelmente, também espalhadas nos demais municípios da região serrana.

Esse é o Brasil das miscigenações, que, ao longo dos séculos, foram compondo o que há de melhor, na arte brasileira. Não falo aqui dos ismos pelos quais o artista transitou e deixou sua marca, mas da importância de preservarmos nossa história e mantermos viva sua memória.













Rudimar Cifuentes
Artista Plástico e Curador

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Estudantes viram artistas na EMEB Suzana Albino França

Encartado hoje no Correio Lageano - Informativo Lendo e Relendo

Os estudantes do 8° ano da EMEB Suzana Albino França se transformaram em verdadeiros artistas. Incentivados pela Arte Educadora Ana Paula Vieira realizaram pinturas corporais conhecidas como “body art”.

Para chegar ao trabalho final, os educandos realizaram pesquisas sobre artistas, tatuadores e estudos de desenhos.

Este é também um belo exemplo de aula criativa e atraente, pois atualmente são poucos os jovens que não gostariam de ter uma tatuagem no corpo.




Body Art (do inglês, arte do corpo) está associada à arte conceitual e ao minimalismo. 

 



É uma manifestação das artes visuais onde o corpo do artista é utilizado como suporte ou meio de expressão.
 O espectador pode atuar não apenas de forma passiva, mas também como agente interativo. 



                                Via de regra, as obras de body art são um convite à reflexão.


terça-feira, 21 de maio de 2013

Maratona do Conhecimento entra na Segunda Etapa

Ontem (20), os estudantes enviaram suas matérias com o tema "Personalidades Lageanas e Centenário Malinverni Filho", marcando o início da segunda etapa de produções e publicações do Concurso Maratona do Conhecimento - Estudante Repórter.

Nesta quarta-feira a comissão julgadora analisa as produções, de acordo com o regulamento, e já na próxima semana (27) inicia a nova fase de publicações. A primeira matéria será veiculada na edição de segunda-feira do Correio Lageano.

O Concurso tem por objetivo estimular o pensamento crítico dos estudantes, na busca de situações de seu cotidiano por meio da construção de matérias jornalísticas. As produções encerram apenas no mês de novembro.


sexta-feira, 17 de maio de 2013

Domingo tem Baú de História no SESC/Lages


     Domingo (19) no Teatro do SESC em Lages tem Baú de Histórias com o Grupo de Felícia Fleck, que é contadora de histórias, bibliotecária e mestre em Ciência da Informação pela UFSC.
     O Grupo apresenta o Espetáculo “O PORQUE DAS COISAS” que tem classificação livre e entrada franca.
 
Sinopse:

Existem várias maneiras de entender o mundo. As lendas indígenas, as histórias africanas e os contos populares de diversas procedências apresentados neste espetáculo tentam explicar o surgimento das coisas de um jeito bonito e divertido.





Programa do Espetáculo (adaptação de contos populares):

Como nasceram as estrelas (versão de Clarice Lispector);
Por que a galinha d´angola tem as pintas brancas? (conto popular do Sul da África);
Por que os crocodilos ficam às margens dos rios? (conto popular de Moçambique);
Por que a rainha tem rabo de macaco? (adaptação de Roberto Carlos Ramos);
Remendos com o texto “O livro das perguntas”, de Pablo Neruda.


     Não sabe o que fazer com seu filho no domingão? Está aí uma dica interessante e cultural!

Serviço:
Baú de Histórias
Dia: 19/05 (domingo)
Local: Teatro Sesc/Lages
Horas: 16h
Classificação etária: Livre
Entrada Franca


quarta-feira, 15 de maio de 2013

Matéria 02 no blog

A tecnologia em benefício da educação
Matéria produzida pelo estudante
Gabriel Rosa Padilha do 7º ano
da E.M.E.B. Suzana Albino França, 
sob a orientação do professor 
Carlos Eduardo Canani



A tecnologia está cada vez mais presente na vida das pessoas e na educação isso não é diferente. Diante dessa realidade, algumas iniciativas das redes municipal e estadual de ensino têm se destacado como boas alternativas ao tentar aliar o uso das tecnologias em favor da aprendizagem.

A Secretaria Municipal da Educação de Lages conta desde 2001 com o chamado Projeto Explorer. Esse projeto foi proposto para as escolas desenvolverem, por meio de seus laboratórios de informática, a inclusão digital dos estudantes, ampliando os conceitos relativos às disciplinas curriculares.

De acordo com Rodrigo de Matos, coordenador do Núcleo de Tecnologia Municipal de Lages, no projeto os alunos do Ensino Fundamental utilizam esta ferramenta tecnológica acompanhados de seus professores de modo a transformar as ações pedagógicas desenvolvidas. Atualmente, segundo o coordenador, os professores regentes das turmas produzem um plano de aula dentro do conteúdo ministrado e o professor do Explorer pesquisa sites e jogos relativos ao assunto escolhido.

“Assim, espera-se que o processo de ensino-aprendizagem venha a ganhar em dinamismo e inovação através das aulas ministradas no laboratório, complementando e enriquecendo os conteúdos ministrados em sala de aula”, destaca Rodrigo. A diminuição das taxas de evasão e reprovação escolar, a ressignificação da prática pedagógica e a instrumentalização dos estudantes para viverem neste contexto de mudança digital também são apontados por ele como elementos importantes nesse processo.

Por sua vez, na rede estadual de ensino, o governo do estado vem realizando a distribuição de tablets educacionais para os professores do ensino médio, tornando possível por meio do uso destes equipamentos a realização de aulas mais criativas e atualizadas.

A professora e assessora de direção Margarete Mendes vê com bons olhos o uso da tecnologia na educação que, para ela, só tem a ganhar com isso. “A escola precisa estar atualizada, fazendo o uso da tecnologia a seu favor e agindo adequadamente nessa nova era de informações cada vez mais velozes”, aponta Margarete.

Em todo o mundo são desenvolvidos estudos que procuram as melhores estratégias de uso das tecnologias na educação. Nesse contexto, o papel do professor é o de auxiliar o aluno a alcançar o seu potencial máximo, para aproveitar os benefícios que a tecnologia pode oferecer. Para os alunos, a tecnologia pode até mesmo substituir pilhas de livros por meio de pesquisas virtuais muito mais rápidas. O que se percebe é que estamos próximos de uma revolução na educação através do uso cada vez mais constante da tecnologia.

Matéria produzida para o Concurso Maratona do Conhecimento 2013 - Estudante Repórter

terça-feira, 14 de maio de 2013

Visite os Museus de Lages


Ontem, iniciou a 2ª Semana dos Museus, e você, já conhece os museus de Lages? Veja as  informações sobre cada um, assim antes de agendar uma visita já terá conhecimento sobre eles e não ficará “perdido” durante a visita.

Museu Histórico Thiago de Castro

Tem sua formação a partir de uma coleção particular. Danilo Thiago de Castro reuniu a maior parte dos objetos, livros, jornais, fotografias, mapas, discos entre outros acervos que hoje encontram-se no museu. Elementos representativos da história de Lages e Região Serrana de Santa Catarina. Em 1962, o acervo é reconhecido de utilidade pública. São mais de 70 anos de serviços prestados à comunidade serrana através da guarda, preservação e difusão de elementos de sua história. O MTC tornou-se público municipal em 18 de junho de 2012. Desenvolve atividades educativas para estudantes, professores e comunidade em geral, atendimentos a pesquisadores e visitantes, ações na área patrimonial.



Equipe: Giovana de Liz, Paulo Guasseli e Carla de Souza.

Funcionamento: Segunda-feira expediente interno. Aberto de terça a sexta-feira 08:30 às 12:00 e das 13:30 às 17:30 e no último sábado de cada mês das 09:00 às 12:00. Atendimento à pesquisa: terças e quartas-feiras das 13:30 às 17:30. Visitas Mediadas com agendamento prévio também fora  destes dias e horários.


Museu Ferroviário


Em 09 de abril de 1998 o 10º BEC inaugurou um espaço cultural denominado “Museu Ferroviário”, cujo acervo preserva peças, documentos, quadros, fotografias entre outros acervos que retratam parte dos mais de 150 anos da história do mais antigo e tradicional Batalhão de Engenharia do Exército Brasileiro, conhecido como o “Milionário das Ferrovias”. Além da guarda e preservação desses acervos o Museu Ferroviário tem possibilitado visibilidade das atividades da Engenharia de Construção por meio de oficinas, exposições e ações educativas, com o objetivo de comunicar e socializar a história do Batalhão. Em 24 de abril de 2013 foi inaugurada a ferrovia “Memórias do Primeiro Ferroviário”, com mais de 700 metros, é percorrida pela locomotiva “Jaguarizinho”, que foi tombada em 1956, após mais de 50 anos desativada, foi totalmente recuperada em 2011 e hoje proporciona passeios previamente agendados.


Equipe: Ivair Proenço, José Kosow e Guilherme Trindade.

Funcionamento: Segunda à Quinta-feira das 08:00 às 12:00 e das 14:00 às 17:00. Sexta-feira das 08:00 às 12:00.


Museu Malinverni Filho

Implantado em 21 de maio de 1986, possui cerca de 3.800 peças entre esculturas, pinturas, poemas, documentos e objetos particulares que referem-se à vida e ao trabalho do artista Agostinho Malinverni Filho. Hoje o Museu é coordenado pelo filho do artista - Jonas Malinverni e Maria do Carmo Lange Malinverni – esposa do artista. Em 2013 comemora-se o centenário deste artista que criou uma escola de Belas Artes em Lages.

Equipe: Jonas Malinverni, Maria do Carmo Lange Malinverni, Juliana de Andrade, Catarina da Luz Batista Chagas e Amarildo Anacleto Bacci.

Funcionamento: Segunda à sexta-feira das 09:00 às 12:00 e das 14:00 às 17:00. Visitas Mediadas com agendamento prévio além destes dias e horários.




Memorial Nereu Ramos

Inaugurado em 03 de setembro de 1992. Seu acervo constitui-se de fotos, documentos, e objetos pessoais que pertenceram a Nereu de Oliveira Ramos – advogado, jornalista, e que, de 11/11/1955 a 31/01/1956 ocupou o cargo de Presidente da República.









Equipe: Maria Apolinária Vieira da Silva e Lizandro Oliveira Dias.

Funcionamento: Segunda à sexta-feira das 09:00 às 12:00 e das 14:00 às 17:00. Visitas Mediadas com agendamento prévio além destes dias e horários.






Museu Alceu Reche


Alceu Reche inicia sua coleção em 1993 através de doações de familiares: uma máquina de costura doada pela sogra, um ferro de passar roupa doado por tios e um telefone à manivela doado pelo irmão. Hoje o acervo conta com mais de 5.000 peças e continua se constituindo, com frequência são recebidas doações vindas de Lages e região e também de outros lugares. A coleção começou a ser exposta no bar da família e hoje já conta com espaço construído para abrigá-la.

Equipe: Alceu Reche e os filhos Matheus e Sâmara Reche.

Funcionamento: Dias e horários a combinar mediante agendamento.








sexta-feira, 10 de maio de 2013

Escola Homenageia as Mãe com Poesias

    Domingo é dia de dar aquele abração de urso na Mamãe! Mãe-Avó, Mãe-Tia, Mãe-Madrinha, Mãe-Pai, independente de quem seja, merece muito amor e carinho.

    Para homenageá-las os estudantes, da turmas das professoras Alexandra e Francinete, da EMEB Professor Antonio Joaquim Henriques criaram belíssimas poesias.
    E é assim, com este belo trabalho que também homenageamos todas as mães que estão ai do outro lado da telinha acessando nosso blog.

    Confiram:

AMOR DE MÃE
Fraterno amor que
Eu sinto por você
Lógica certa é
Imaginar não deixarem eu te ver
Zele por mim
Doce mãe adorada
Incerto é você não ser
Amada
Deixo você me guiar
Até meu destino
Sábia e linda como luar
Mãe, por você
Até construiria um monumento
Eu te imploro
Seja a mulher do meu momento.
FELIZ DIA DAS MÃES

Estudante Gustavo S. Ferreira, 5º ano 3 

MÃE MEU TESOURO
Mãe a razão de viver
É por ti, o sol a brilhar,
A lua a cantar, e o meu amor a ti a sorrir!
Não sei viver sem ti,
Não aguento ficar sem olhar nos
Seus olhos e dizer mãe eu te amo!
Mãe, mamãe você me ensinou tudo,
Por isso agradeço a Deus
A mãe que eu tenho!
Mãe flor da minha vida,
Meu caro tesouro, vida minha,
Não sei o que seria de mim sem você!

Estudante Emilie Vitória Oliveira Geremias, 4º ano 2


MAMÃE
Mamãe querida
Te quero sempre
E nunca vou te esquecer
Sendo uma mãe legal
Também é cuidadosa
Sempre vou te amar
Que Deus lhe abençoe,
Por ser uma mãe
Tão legal
Vários beijinhos mamãe
Vou te adorar para sempre
Mamãe parabéns pelo seu dia.

Estudante Julia Borges Mendes, 4º ano 3

MINHA MÃE
Eu amo minha mãe,
Ela é o amor da minha vida
Nunca vou esquecer dela
Eu adoro minha a mamãe, ela é o.
Mar doce e quando eu tomo
Essa água fico doce.
Todo dia eu agradeço
Por minha mãe cuidar de mim,
Te amo mãe nunca vou lhe esquecer.

Mãe me representa amor, cuidado,
 E muito carinho, sempre ame,
A sua mãe como eu.     

Estudante Vitor, 4º ano 3

MÃE   
Mãe linda como uma flor
Do jardim, bem cheirosa.
Mãe caprichosa, que lava as
Minhas roupas, e deixa cheirosa.
Mãe inteligente que me
Ajudou a ler e escrever
Mãe carinhosa que da
Carinho sempre quando
Vou dormir

Estudante Evelin Damasceno, 4º ano 3

MINHA MÃE QUERIDA
Minha mãe é uma rosa
Um rosa do meu jardim
Tão linda quanto às outras.
Ela é muito inteligente
Inteligente até demais
Nunca vi uma pessoa
Tão inteligente.
Ela é muito bonita
Que eu nunca vi igual
Tão bonita quanto uma
Princesinha!
Ela é querida
Querida com todo mundo
Querida até com pessoas
Que não conhece.

Estudante Suelen Fogaça, 4º ano 2

MINHA VIDA
Você é a luz do meu viver
Que alegria traz ao meu viver
Crescer feliz me faz.
Bonita como uma harmonia
Da música mais linda.
Amor da minha
Ela é bonita como uma
Borboleta muito linda.
Ela é uma rainha
No seu doce lar, alegre.
E feliz a viver ali.

Estudante Wallace Tafarel, 4º ano 3

MÃE QUERIDA
Mãe do coração
É a minha paixão quando
Chega à noite abri meu coração
Mãe do coração
É mais bonita
Que um anjo
Mãe do coração
É a minha luz
Minha inspiração
Mãe, bonita
É a inspiração
Do meu coração

Juliano da Silva, 4º ano 3

MÃE
Mãe é a coisa mais bela
Que existe a pessoa que
Sempre brilha.
Mãe é uma mulher
Cheia de amor para
Dar a família, e os filhos.
Mãe uma joia para que
Quando temos devemos
Ter muito cuidado com
Ela e dar muita atenção
Mãe uma mulher
Verdadeira pura, cheia.
De amor e bela
Mãe maravilhosa.

Estudante Maykelly Leite Amaral, 4º ano 2

MINHA MÃE

Minha mãe é flor
Seu belo aroma
Cura toda dor
Minha mãe é boa
Perto dela
Meu coração voa.
Minha mãe me fez viver
O mesmo tanto que eu
Quero vê-la
Minha mãe caiu do céu
Seu mesmo aroma
Com gosto de mel.

Estudante Guilherme da Silva Ferreira, 4º ano 03


MÃE

Você partilhou com Deus a criação de minha vida depois me ensinou a viver, respeitar,  dar amor aos meus semelhantes.
Quando todos me abandonaram, você estava comigo. Você me ensinou a ter paciência, a perdoar, sentir confiança e a perdoar, sentir segurança de um constante e incondicional amor que me faz sentir um pouco do quanto Deus me ama.
Aprendi a sorrir com teu sorriso.
Tudo o que sou e espero ser em minha vida devo a você minha mãe!

Estudante Emilie Vitória Oliveira Geremias, 4º ano 2










quinta-feira, 9 de maio de 2013

2ª Semana Integrada de Museus de Lages


Museus (memória+criatividade) = mudança social
13 a 19 de maio de 2013 em Lages(SC)

                A Semana Nacional de Museus é um evento comemorativo ao Dia Internacional de Museus – 18 de maio. Proposta pelo Conselho Internacional de Museus (ICOM) é promovida no Brasil pelo Instituto Brasileiro de Museus. Em 2013 o tema proposto é Museus (memória+criatividade) = mudança social.

                A partir da Mesa Redonda de Santiago do Chile, no ano de 1972, os museus passam a ser discutidos enquanto “instituição a serviço da sociedade, da qual é parte integrante e que possui nele mesmo os elementos que lhe permitem participar na formação da consciência das comunidades que ele serve”.[1]  Estas instituições são estimuladas a gerenciar para os diferentes públicos a acessibilidade às suas coleções, fazendo dos museus um espaço reflexivo onde a sociedade se identifica e encontra espaço para discutir suas práticas e suas construções.

                Desta forma nasce a Semana Integrada de Museus de Lages, momento em que estas instituições buscam dinamizar suas atuações junto à comunidade. O evento apresenta-se enquanto uma oportunidade de repensar o fazer museal, entendendo os museus enquanto espaços de conexão social. É um momento especial, em que através de palestras, oficinas, apresentações artísticas, sessões de cinema, os museus chamam a atenção da comunidade para vivenciar um espaço que é seu e que se dinamiza através do olhar e interação com os diversos agentes sociais.

É uma semana para brincar no museu, criar e discutir, inspirar-se. Na 2ª Semana Integrada de Museus de Lages a instituição museal homenageada é o Museu Malinverni Filho, já que 2013 é o ano de centenário do artista Malinverni Filho.

Texto de: Carla de Souza
Museu Histórico Thiago de Castro
Ponto de Cultura - Cultura, Memória e Desenvolvimento
Blog do Museu
http://mtclages.blogspot.com/

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Maratona do Conhecimento - Matéria no blog



O Concurso Maratona do Conhecimento tem pontuações diferenciadas para cada publicação. O primeiro artigo, da estudante Beatriz foi publicado na edição de segunda-feira no Correio Lageano.

O segundo artigo, selecionado para publicação no blog, foi enviado por Marcelo Borges da Silva, estudante do 9° ano, do Colégio Motivação, de Correia Pinto sob orientação da professora Neusa Tibes de Lima. Confira, abaixo:

Tecnologia e praticidade


Não é nenhuma novidade que os cadeirantes encontram problemas de acessibilidade, onde quer que estejam; dificuldade de ir trabalhar, ir ao mercado, à padaria.  Coisas do dia a dia que, para quem não é cadeirante, parecem ser simples mas para eles, é difícil. Mesmo com carros adaptados, eles precisam da ajuda de alguém, pois como entrar no carro, guardar a cadeira e seguir viagem, sem a ajuda de terceiros?  

Muitas pessoas enfrentam esses problemas todos os dias. E alguns não têm o carro adaptado, e precisam usar o transporte público. Márcio David enfrenta esses problemas todo dia. Então, em uma reunião de amigos, ele conversou com Gilberto e mais alguns colegas sobre suas dificuldades. Eles ficaram comovidos com a sua situação e começaram a planejar um protótipo. Esse protótipo, mais tarde se tornou o Pratyko, o primeiro veículo desenvolvido especialmente para cadeirantes no Brasil.

O desenvolvimento do protótipo foi feito totalmente em uma oficina caseira, na garagem da casa de Gilberto Mesquita em Correia Pinto. Contou com a ajuda dos professores Sérgio Schütz e João Frank Gil. Junto com Márcio David, os quatro colegas formam a equipe “Mão na Roda”.

Com o carro o cadeirante tem a oportunidade de dirigir sem precisar sair de sua cadeira de rodas. Ele entra no carro através de uma porta traseira, e de um controle. Desce logo um pequeno elevador, que facilita a entrada do cadeirante no veículo. Espaço aqui já não é o problema, já que o Pratyko possui 2,60m de comprimento, 1,60m de largura e 1,55m de altura. Ainda possui um motor de 250 cilindradas, cinto de segurança, vidros elétricos, sensores de distância traseiros e dianteiros e capacidade apenas para o cadeirante.

“O objetivo do projeto é dar independência ao cadeirante”, diz Gilberto. Com o carro, o problema de locomoção dos cadeirantes estará resolvido, pois todos os controles estão ao alcance das mãos. Mas o carro ainda não está disponível para venda. Deve chegar ao mercado na faixa dos 30.000 reais. Centenas de milhares de pessoas serão beneficiadas com o carro. 

A equipe também participou da  ReaTech (Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade), em São Paulo, o que colaborou significantemente para a divulgação do projeto. Agora, a equipe está trabalhando para fabricar o Pratyko em série.