terça-feira, 26 de novembro de 2013

Lendo e Relendo com o Correio Lageano leva alunos a Ponta Grossa

Os estudantes vencedores do concurso “Maratona do Conhecimento – Estudante Repórter”, promovido pelo Programa Lendo e Relendo com o Correio Lageano de Lages (SC) voltaram encantados da viagem que realizaram a Ponta Grossa (PR). O passeio foi o prêmio dado aos destaques do concurso e oportunizou aos alunos conhecerem o Jornal da Manhã e o Programa Vamos Ler também associados à Associação Nacional de Jornais (ANJ).


Durante dois dias, o grupo passou pelos principais pontos turísticos da cidade e também participou da Mostra Cultural “Vamos Ler”, onde trocaram experiências de jornal em sala de aula com outras escolas da região paranaense dos Campos Gerais. 

A Assistente Pedagógica do Lendo e Relendo, Barbara Zanoni destacou que “ações como estas enriquecem o trabalho desenvolvido pelos programas, pois principalmente os professores percebem que existem muitas outras práticas com o jornal em sala de aula.”

Essa integração, tanto com profissionais do jornal, quanto com os participantes da mostra, permitiu ao grupo entender melhor como é a realidade diária da veiculação de notícias e também das ações desenvolvidas com os programas jornal e educação.

"Foi muito gratificante para nós sermos os escolhidos como parte da premiação do concurso do Lendo e Relendo, não apenas pela viagem proporcionada aos estudantes, mas pela partilha que houve entre dois Programas Jornal e Educação. Posso descrever o encontro entre "Vamos Ler" e "Lendo e Relendo" como uma união de saberes que irão proporcionar inovação, no Paraná e em Santa Catarina", destacou a coordenadora do Vamos Ler, Talita Moreto.

Os professores participantes voltaram cheio de ideias e novos conhecimentos que serão compartilhados nas suas unidades escolares. O professor de Português Carlos Eduardo Canani comenta sobre a troca de experiências. “Temas que nós vivenciamos foram mostrados através dos projetos que eles também trabalham. Foi muito bacana para os alunos e para os professores, pois houve troca de experiências. O passeio foi um complemento, muitos estudantes se encantaram com os lugares que conheceram”, conclui.

Participaram da viagem às escolas municipais de Lages Izidoro Marin e Suzana Albino França, a escola municipal de Otacílio Costa Marechal Rondon e também o Colégio Motivação de Correia Pinto. O grupo foi formado por 24 pessoas, entre estudantes, professores, gestores e mães.
  

Roteiro de Viagem

O grupo chegou em Ponta Grossa no início da manhã do dia 19 e ficou no Barbur Plaza Hotel. Naquela mesma manhã, conheceram o Jornal da Manhã. À tarde, o grupo visitou o Museu Época que possui em seu acervo peças que retratam a história de várias regiões do país.


Na manhã do dia 20, conheceu o Parque Nacional Vila Velha; à tarde participou da Mostra Cultural "Vamos Ler" e prestigiou apresentações de dança, paródias e teatro, além da premiação dos dois melhores planos de atividades pedagógicas, semelhante ao Lendo de Relendo.


Como foi o concurso
O concurso iniciou em março e encerrou em novembro, durante nove meses estudantes de 11 escolas estiveram envolvidos na produção de matérias jornalísticas. O objetivo foi de incentivar a leitura, criticidade e promover a aproximação com o jornal. Mensalmente um novo tema era abordado, assuntos do cotidiano do bairro, cidade e região foram explorados sob a ótica dos educandos.









quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Estudantes destaques do Concurso Maratona do Conhecimento 2013 estão de malas prontas

A Maratona do Conhecimento - Estudante Repórter é um concurso promovido pelo Instituto José Paschoal Baggio por meio do Programa Lendo e Relendo com o Correio Lageano que tem por objetivo incentivar a leitura, criticidade e promover a aproximação com o jornal.

O concurso iniciou em março e encerrou em novembro, durante nove meses estudantes de 11 escolas estiveram envolvidos na produção de matérias jornalísticas. Mensalmente um novo tema era abordado, assuntos do cotidiano do bairro, cidade e região sob a ótica dos educandos.

Como premiação do concurso nos dias 19 e 20 de novembro, estudantes e professores vão a Ponta Grossa no Paraná para conhecer a realidade do Jornal da Manhã e Programa Vamos Ler, também associado a ANJ (Associação Nacional de Jornais)

A programação é diversa, terão a oportunidade de conhecer o funcionamento do jornal, visitarão museus e também o Parque Estadual Vila Velha, referência em turismo na região.

Outro diferencial é a participação dos estudantes da Serra Catarinense na Mostra Cultural Vamos Ler. Eles apresentarão o jornal Maratona News, mostrando aos paranaenses como foi participar do Concurso.

Embarcam para esta viagem as escolas municipais de Lages Izidoro Marin e Suzana Albino França, a escola municipal de Otacílio Costa Marechal Rondon e também o Colégio Motivação de Correia Pinto.

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Seleção Bolshoi em Lages - Seu sonho pode se tornar realidade


Se interessa por dança? Você pode ser candidato e ganhar bolsa para estudar dança na Escola do Teatro Bolshoi no Brasil.

SELEÇÃO Vagas 2014
Cronograma:1ª etapa – 01/09 a 20/09 Motivação2ª etapa – 26/09  Pré-Indicação3ª etapa – 18, 19  e 20/10  Seleção
Quem pode ser candidato? 
- Alunos interessados em dança- Masculino e Feminino- Não necessita conhecimento em dança- Estudantes da Rede Pública Municipal e Estadual de Ensino, escolas particulares academia de dança, escolinhas de futebol etc…
 - Faixa Etária: 9 a 11 anos de idade

-  Anos de nascimentos: 2002 a 2004
 Motivação  
-  1ª etapa - 01/09 a 20/09
2ª etapa
Pré-IndicaçãoSerão realizadas aulas lúdicas, pré-indicando candidatos para etapa final da Seleção com a equipe Bolshoi.
Local: Lages/SC
Traje para aula: 
Feminino (top e shorts, descalça cabelos presos)Masculino (shorts, sem camisa e descalços)
Obs: receberão um número o qual deverão prender na camisa

3ª etapa – 18, 19 e 20 de outubro
Etapas médico-fisioterápica, cognitiva  e  musical-artísticaRealizadas por Médicos, Pedagogos, Fisioterapeutas, Professores de EducaçãoFísica, Pianistas, Professores de dança brasileiros e russos, onde será avaliado o conjunto de dados profissionais dos candidatos.
Dúvidas podem ser esclarecidas pela Fundação Cultural de Lages
Telefone: (49) 3224-7425
E-mail: fundacão.cultural@lages.sc.gov.br

Endereço: Rua Benjamin Constant, 141, Centro – Cep.: 88501-110 (antigo Fórum)


Confira como foi a seleção 2012!

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Escolas públicas de Lages podem participar de concurso da Semana Farroupilha

Esta aberto até o dia 19 de setembro o Concurso de Paródias Semana Farroupilha 2013. Podem participar todas as escolas públicas de Lages, SC.

O objetivo é valorizar e difundir a participação lageana na Revolução Farrapa.
O Concurso é organizado pelo Instituto José Paschoal Baggio – IJPB em parceria com o MTG-SC Movimento Tradicionalista Gaúcho de Santa Catarina e Comissão Organizadora da Semana Farroupilha em Lages.

Com o tema “Lages, Terra Farrapa – Heróis Lageanos”, estudantes do 6° ao 9° ano poderão criar paródias musicais apresentando curiosidades e fatos importantes que destacam Lages na Revolução Farroupilha.


Os destaques serão divulgados no dia 20 de setembro no Calçadão Túlio Fiúza durante as comemorações farroupilhas em Lages, os prêmios são surpresas.








CRONOGRAMA:
Lançamento do edital: 12/09/2013
Entrega das paródias e ficha de inscrição: 19/09/2013
Divulgação e entrega de prêmios: 20/09/2013


quarta-feira, 14 de agosto de 2013

O universo da Moda

Matéria produzida pela estudante Evelin Wulff Cardoso estudante da EMEB Nossa Senhora da Penha sob orientação da gestora Saionara Campos, para o concurso Maratona do Conhecimento - Estudante Repórter.

A moda está relacionada com o momento em que vivemos, seja desde seu criador até mesmo a pessoa que adquiri para seu dia a dia ou em algum evento, na época em que estamos vivendo a moda contribui em muitos fatores inclusive incluindo e abrangendo pessoas que por um longo período não se encaixavam no que existia no mercado, a inclusão me surpreende porque hoje vemos cadeirantes ou portadores de próteses participando de desfiles.

Entrevistei a estudante de moda Josiane Bini aluna da Uniasselvi, cursa Design de moda (Bacharel) está na 4° fase.

1-     O que é moda na sua opinião?
R: A moda faz parte de um estilo próprio que está ligado ao interior da pessoa, ultrapassa a tendências, e tem um grande afinco de expressar sentimentos e emoções, moda pra mim significa liberdade de expressão.

2-     Qual o conceito de moda no Brasil?
R: A moda se destaca no mercado, pois é a área que mais cresce, surpreende a economia brasileira, além de ter diversas áreas de atividades econômicas à moda no Brasil é muito criativa e de boa qualidade. Porem ainda enfrentamos alguns preconceitos que precisam ser quebrados.

3-     Qual a tendência da moda atual elas são seguidas pela grande maioria?
R: As tendências da moda neste inverno de 2013, por exemplo, são roupas com listras pretas e brancas, o militarismo, estampas de animais, detalhes em couro, conjuntos com top cropped, e roupas étnicas, para acessórios devem ter ar de rock com muitas tachas, no pescoço o lenço é um acessório indispensável para o inverno, pois além de aquecer, traz um estilo elegante ao look.
Sim elas são seguidas, pois a mídia interfere muito na vida das pessoas, como novelas, blog de moda, fashionistas e famosos, sendo assim as tendências se tornam ícones indispensáveis na maioria dos guarda roupas.

4-     Você gostaria de trabalhar em qual área especifica?
R: Tem duas áreas da moda que me encantam a produção e a criação.



Imagem retirada de: Fiéis as Tendências: Como surgiu a moda?www.fieisastendencias.com

5-     As pessoas ainda erram muito, ou estão mais antenadas na escolha? Estilo...
R: Sim as pessoas se interessam pela moda, e consequentemente buscam entender mais e aprimorar seu estilo com o que há de novo hoje no mercado.

6-     Qual a maior dificuldade na criação de uma peça ou coleção?

R: A inspiração, porque dela vem cada detalhe, e tudo tem que ter seu diferencial para o mercado.

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

quarta-feira, 10 de julho de 2013

ESGOTOS A CÉU ABERTO, UMA FERIDA SOCIAL EXPOSTA!

     Matéria produzida pela estudante Tainá Favaretto de Jesus da EBM Marechal Rondo para o concurso Maratona do Conhecimento - Estudante Repórter, 
sob orientação do professor Maycon Israel Velho.

     Os esgotos a céu aberto causam muitos problemas a nós seres humanos, animais e demais seres vivos. Além do mau cheiro e aparência desagradável, as doenças causadas, podem variar deste simples sintomas como  dores de cabeça, musculares, febres, bem como, doenças mais graves que podem até mesmo levar a morte. As principais vítimas são as crianças, que por não saberem o risco que correm, às vezes até brincam nestes locais contaminados.

     Edson Souza Liz de 41 anos, relata que  próximo à sua residência há  um esgoto a céu aberto. “Meu filho adora brincar na rua, e um dia desses, caiu dentro do esgoto. Ele teve febre e muitas dores no corpo, felizmente, não foi preciso levá-lo ao hospital, pois os sintomas logo passaram... Imagina se isso tivesse acontecido num momento em que não tivesse ninguém por perto, poderia ter acontecido uma verdadeira tragédia, sem falar, nos perigos constantes de sermos contaminados mesmo sem contato direto. Sabemos que todos temos que cuidar da nossa casa, da nossa rua, enfim do nosso bairro, mas tem coisas que cabem as autoridades competentes, e saneamento básico, como próprio nome diz, é o básico para uma sociedade.” conclui.
     
     A preocupação do Sr. Edson Souza não se resume ao sem entorno, já que, atualmente a falta de saneamento básico pode ser considerada uma ferida social aberta, que expõe a fragilidade de centenas de pessoas que vivem em situação parecida. De acordo com IBGE, no Brasil, 11% dos domicílios têm esgoto a céu aberto no entorno da residência.  Geralmente os bairros mais carentes, localizado nas periferias das cidades são os mais afetados, muitos, por falta de possibilidades financeiras, ou mesmo por desconhecimento convivem com esta triste realidade, e até mesmo acentuam o problema despejando seu dejetos e depositando lixos diretamente em rios e córregos.

     De acordo com a Nadir Firmo Hinghaus, os malefícios do esgoto a céu aberto, são tantos quanto os do lixo nas ruas ‘’Deve-se ajudar  atuando na conscientização da população e na reivindicação de estrutura necessária para a regularização das redes de esgotos, pois mesmo se fazendo o mínimo que for possível que é não depositar lixo nos rios ou em terrenos baldios, reaproveitando o que for possível e fiscalizando o destino que é dado para o esgoto nas cidades, fará muita diferença, pois o que será de nossos filhos, e os filhos deles se não tomarmos atitudes conscientes agora, no presente?  
     
     Ambos concordam que se fazem necessárias ações práticas e urgentes para que se resolva este sério problema, ao invés de se investir em tratamento das doenças e dos sintomas desta chaga, deve-se sim investir em estrutura, em condições básicas e educação de qualidade, agindo diretamente na sua causa.

sexta-feira, 5 de julho de 2013

“Com a corda no Pescoço”

    E lá se foi o primeiro semestre e com ele, para muitos, a expectativa de tirar boas notas e retornar tranquilo às aulas após as férias de inverno.

    A decepção de quem não conseguiu atingir a média e se sente “com a corda no pescoço” pode ser percebida claramente, pois ao contrário do que muitos pensam, nem sempre o tirar nota baixa é sinônimo de preguiça, de falta de comprometimento ou até mesmo de falta de interesse pelos estudos. Muitas vezes o aluno se sente confuso não identificando, com clareza, como deve fazer para estudar e aprender o que estudou.

Cybele Meyer 
    Claro que eu poderia começar dando dicas famosas como: prestar atenção na aula, anotar o que achar importante, estudar em casa diariamente o conteúdo dado em sala, e tantas outras nossas conhecidas. Mas não é esta a minha intenção. O que quero na verdade é que o aluno se conheça e com isso trace seu próprio caminho de estudo alcançando a aprendizagem. Para isto é importante identificar qual a linguagem que o aluno tem potencializada para que consiga se comunicar, primeiramente consigo mesmo, e depois com o seu professor. 
    
     Pareceu confuso? Pois então vou explicar:.

     Temos três canais de comunicação: o visual, o auditivo e o cinestésico. Quem tem o canal cinestésico mais desenvolvido precisa sentir o seu corpo e por isso necessita fazer para aprender; quem tem o canal visual mais desenvolvido necessita ver para aprender e quem tem o canal auditivo mais desenvolvido necessita ouvir para aprender. Vocês perceberam que sempre mencionei “mais desenvolvido”, pois na realidade temos os três canais, sendo que um é mais potencializado que os outros dois.

Diante disso vou fazer três perguntas para que você identifique qual dos seus canais é mais desenvolvido:

1-      Quando o professor está ministrando a aula oralmente você:
a)       Precisa olhar para ele prestando atenção em todos os seus movimentos;
b)       Fica anotando o que o professor fala sem precisar ver o que ele está fazendo;
c)        Fica mexendo na sua mochila ou em outros pertences.

2-       As anotações feitas em seu caderno em sala de aula normalmente têm:
a)       Texto com palavras grifadas com caneta colorida ou marca texto;
b)       Apenas palavras e referências;
c)        Gráficos, mapas conceituais, caricaturas, desenhos, etc.

3-      Nas reuniões em família você:
a)       Fica sentado prestando atenção em tudo que falam ou fazem;
b)       É quem recebe os convidados, conta piadas, conta histórias;
c)        É quem arruma a mesa, traz as bebidas, serve os convidados, etc.
 Resultado:                                                                                                                                                                   Se a letra “a” foi a mais escolhida sua comunicação é a “Visual”                                                      
Se a letra “b” foi a mais escolhida sua comunicação é a “Auditiva”                                                         
Se a letra “c” foi a mais escolhida sua comunicação é a “Cinestésica”

Agora que você já sabe qual é o seu canal de comunicação, vamos às dicas de como estudar e obter melhor aproveitamento.





Comunicação visual: estudar ressaltando com cores diferentes os tópicos importantes, relacionar o conteúdo com as ações/gestos do professor; criar histórias em quadrinhos com o conteúdo.






Comunicação auditiva: ler e estudar em voz alta; substituir a letra de uma música pelo conteúdo e cantá-la, usar diferentes tons de voz para ressaltar o que é importante ou o que apresenta dificuldade.







Comunicação cinestésica: estudar caminhando; mascar chiclete durante o estudo, estudar jogando bolinha na parede ou qualquer atividade que o faça sentir confortável.







Cybele Meyer  Escritora, Educadora, Artista Plástica, Advogada, 
Psicopedagoga, Pesquisadora e Formadora de 
Professores na área de tecnologia aplicada à Educação. 
Suas obras: Inteligências na Prática Educativa, Menina Flor e O Diário de Juliana

Artigo publicado no informativo Lendo e Relendo edição 191.

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Professores já podem fazer a escolha dos livros didáticos para 2014

Brasília, 03/07/2013, Brasil.gov - 

A escolha on-line abrangerá obras destinadas a alunos e professores do sexto ao nono ano do ensino fundamental

A consulta on-line ao Guia de Livros Didáticos para 2014 está disponível para professores das séries finais do ensino fundamental. O guia conta com resumos e informações sobre as obras selecionadas para o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). Preparado pela Secretaria de Educação Básica (SEB) do Ministério da Educação, o documento vai auxiliar os professores a escolher títulos de português, matemática, história, geografia, ciências e língua estrangeira a serem adotados na rede pública a partir do próximo ano.

A escolha, a ser feita no período de 2 a 12 de agosto próximo, também on-line, abrangerá obras destinadas a alunos e professores do sexto ao nono ano do ensino fundamental. Devem ser feitas duas opções de cada componente curricular, de editoras diferentes. Caso não seja possível a aquisição dos livros da editora da primeira opção, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) tentará adquirir as obras da segunda. “Com o guia, professores, diretores e coordenadores pedagógicos podem conhecer melhor os livros e selecionar os mais adequados ao projeto de ensino de cada escola”, afirma o diretor de ações educacionais do FNDE, Rafael Torino.


Confira na íntegra no Portal CL+ pelo link:

Na edição 182 - do informativo do Lendo e Relendo abordamos sobre o cuidado com os livros didáticos

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Fortaleza de Santa Cruz: história, proteção ambiental e mistérios na Ilha

Matéria publicada no blog - produzida pela estudante do 7° ano Ana Maria Campos, da EMEB Izidoro Marin sob orientação dos professores Luiz Antônio Goulart e Sonia Marisa Silva, para o Concurso Maratona do Conhecimento – Estudante Repórter.


     A Área de Proteção ambiental do Anhatomirim ocupa uma área de 4.612 hectares, sendo 2.648 em área marinha e 1.964 em área terrestre. A APA foi criada em maio de 1992 por Decreto Federal. O objetivo é preservar a sobre vivência do golfinho-cinza, que encontrou ali seu local de alimentação e reprodução. Faz parte da área ainda, a Mata Pluvial Atlântica. Além de fontes hídricas que servem para sobrevivência das comunidades de pescadores artesanais da região. Os golfinhos-cinza são encontrados apenas na costa leste da América Latina, desde a Nicarágua até o sul do litoral brasileiro. Na Baía Norte no estado de Santa Catarina, encontramos uma pequena ilha que abriga a Fortaleza de Santa Cruz, construída em 1739.
    O  nome vem do  idioma tupi-guarani e pode significar “pequena toca do diabo”. Os índios acreditavam que o lugar era mal assombrado, devido aos massacre ocorridos no passado. Na fortaleza existe um túnel com saída para o mar e segundo do historiadores, os massacres ocorriam ali.Um grupo de alunos do Programa Mais Educação da EMEB Izidoro Marin, visitou o local no dia 24 de maio. Observaram as belezas naturais, a história e viram de perto a qualidade da preservação ambiental. Os casarões nos remetem a um Brasil do início da descoberta, das colônias, do império. A fortaleza abrigou a primeira residência oficial. Estes  prédios estão abertos para visitação e são bem  preservados. É indispensável que a visita seja acompanhada por um guia especializado.
     A missão dos homens que viviam na fortaleza na época era impedir a entrada dos espanhóis na ilha. No entanto, os canhões que estão até agora ali, não disparam um tiro sequer, pois os invasores utilizavam entradas alternativas para despistar os soldados da fortaleza. O visitante pode observar ainda o estilo de construção da época, onde no reboco utilizava-se óleo da baleias e outras ligas. A APA do Anhatomirim é um espaço onde os recursos naturais são protegidos em função da sua importância ecológica. Na ilha há um certo grau de ocupação humana, mas com deveres ecológicos e culturais importantes e definidos.



Passeio de escuna dá mais charme ao passeio
Para chegar até a ilha, é preciso agendar a viagem. Feitas por barcos piratas, bem caracterizados. A saída fica num trapiche na praia de Canasvieiras e dentro dos barcos há várias atrações, que vão desde música, encenações e até atores vestidos de pirata que vez em quando surgem sem a gente menos esperar. No mais, uma coisa é certa: será difícil esquecer este passeio pelo tempo e rodeado de belas paisagens e acima de tudo, muito bem preservadas.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Hiperatividade

Por Clécio Carlos Gomes

A hiperatividade, até a década de oitenta, era um diagnóstico, eminentemente, atribuído à infância e à adolescência. A partir desse período, a escola americana passou a pesquisar e identificar que sua sintomatologia também era percebida no público adulto, independentemente da idade. Atualmente, as atenções para esse quadro são voltadas para a população em geral, sabendo-se que seu início de manifestação ocorre ainda na primeira infância e tendo ampla possibilidade de se estender ao longo de toda a vida. Existem dois critérios para o diagnóstico que fundamentam o perfil da hiperatividade.

O paciente que manifesta esse quadro apresenta uma agitação psicomotora, interpretada como inquietude e falta de sossego, assim como uma aceleração dos processos de pensamento, o que defino como uma hiperatividade do funcionamento mental. Essa rapidez na dinâmica tende a afetar a função da atenção, fazendo-o disperso e inapto para centrar e direcionar seu foco em estímulos específicos, desprendendo-se de interações mais consistentes com as coisas, objetos e até outras pessoas.

Tem dificuldade em prestar atenção em atividades essenciais do dia a dia, inclusive as de lazer e lúdicas. Dá a impressão de não interagir dentro de um patamar adequado, repassando a sensação de não ouvir aquilo que lhe é dito. Tem o perfil de começar as coisas, porém, com grande dificuldade para concluí-las. Os processos de organização e planejamento de tarefas é bastante deficitário, justamente por não conseguir se ater a elementos essenciais para o procedimento. Distrai-se com frequência e por qualquer tipo de estímulo, tanto interno como externo e por isso é inábil para reter e evocar situações corriqueiras e essenciais dentro da rotina. 

Clécio Carlos Gomes (CRP 12/01350) é bacharel em Psicologia, 
especializado em Psicopatologia, Psicologia Clínica e Terapia 
Sexual pela Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade
 Humana (SBRASH). 
Apresenta agitação motora das extremidades de membros superiores e inferiores, mãos e pés,  respectivamente. Não consegue permanecer parado por muito tempo num mesmo lugar. No caso de crianças, de permanecerem sentado em suas carteiras nas salas de aula. Vive acelerado, como se estivesse correndo o tempo todo de alguma coisa ou para algum destino não especificado. Sua incapacidade para envolver-se ema atividades lúdicas ou sociais é visível. Fala muito e aceleradamente. É impulsivo e atua de maneira precipitada. E tudo isso gera um importante prejuízo no seu funcionamento global.


quinta-feira, 20 de junho de 2013

A Boa Semente

Coronel PM Zinder José Guedes Cardoso / Comandante da 2ª RPM

Vivemos em um mundo conturbado, em um processo cultural contemporâneo que valoriza quase sempre o status pessoal, por aquilo que simplesmente nós temos, fruto da busca de uma colocação social, que nós entendemos ser importante, para termos aceitação e determinado poder, nos distinguindo do outro, sendo uma célula única neste grande universo criado por Deus.
Quando nós nos apegamos ao ter, agregamos sentimentos e valores que são à base de nossa conduta, buscando sempre alicerçar a vida na conquista e no acúmulo de referências ou coisas, o importante nesse processo é ter, independente do ser, reforçado quase sempre pelas mídias/redes sociais, onde nos impulsiona a sonhar com aquilo que é custoso ter ou nos reprime por reforçar a distância em poder ter.
O problema é que a semente que germina nesta linha de pensamento, não inclui as frustrações e como gerencia-las, pois o foco é só em ter, abrindo possibilidades para problemas de saúde de ordem física, mental e espiritual.
Quais são os mais afetados? Em minha opinião os adolescentes.
São aqueles que estão em fase de transição, física, psicológica e espiritual, vulneráveis, pois nem todos terão condições de terem aquilo que é cultuado, quase sempre em nossa sociedade e vendidos nas grandes empresas de propagandas das mídias tecnológicas de informação.
Nos meus trinta e três anos de serviço prestados a Polícia Militar, com vários cursos na área de prevenção a drogas, tenho o entendimento que uma das bases que motivam ao consumo de drogas, é a frustação do jovem ou do jovem adulto, em querer ter e não poder ter, se desmotivando, diminuindo a sua perspectiva, que se não apoiado pela família, a tendência é ser abraçado pelo tentador “Traficante”, o oportunista dos aflitos.
Neste caso a planta seca, ou a árvore não dá bons frutos, pela semente ter sido semeada em terra árida. A aridez da terra que aqui é representado pela “Alma”, faz com que este sujeito em formação procure subterfúgios como âncoras da motivação, como por exemplo: álcool, cigarro, maconha, crack, cocaína ou outras drogas, que tem a falsa sensação de bem estar.
Esta falsa sensação é cobradora, ou seja, ela cobra o que o Jovem tem de mais precioso, a sua liberdade, ficando preso a um comprimido, pó, pedra, cigarro, líquido, para ser feliz, coisas malignas e milhares de vezes menor que este jovem, mais com o poder da sedução, destruído tudo ao seu redor, principalmente a sua dignidade e família.  
Mais Deus nos possibilitou a reconciliação, através do perdão e seu filho Jesus Cristo a ressurreição  ou seja, nós podemos e temos o poder de mudar o rumo de nossas vidas, é só acreditar que somos capazes de fazê-lo “voltar a ser livres”.
Então! A saída é trabalharmos para que os nossos jovens sejam alicerçados no pensamento do “SER”, ou seja, a Boa Semente.
Ser bom, ser leal, ser amigo, ser um bom cidadão, ser livre para escolhas saudáveis, focadas em princípios sociais que lhe faça bem independente do ter, não importa mais neste processo só coisas materiais.
Quando focamos a vida em boas escolhas e no ser, conseguimos superar as atribulações, porque vem do nosso íntimo “Coração” e não das Drogas, do beber para criar coragem ou ser feliz, da maconha para esquecer os problemas ou se enturmar, fumar Crack para ficar maluco ou doidão, fumar cigarro para demonstrar sua maturidade e tantas outras idiotices.
Longe dessas coisas que nos fazem mal fisicamente e espiritualmente, criamos uma nova perspectiva de vida, fincamos a nossa história nesta sociedade que precisa de mais jovens focados no ser do que no ter.
Finalizo com as palavras do Padre Fabio de Melo aqui em Lages na Festa do Pinhão, “Para que a vida seja bonita devemos cuidar do nosso Jardim”.